top of page

Um Momento Simplesmente Especial



um momento simplesmente especial respirando comigo mesma em frente ao mar.


Sentada em frente ao mar, numa tarde de domingo, primeiramente, eu respirei fundo...


Eu existo, eu estou aqui...


E convidei o meu Eu Mestre pra ver e sentir, através dos meus olhos, pra estar ali comigo naquele momento tão meu, tão especial, simplesmente especial.


E fui respirando, ouvindo o barulho do vento, o barulho do mar, observando as pessoas, observando o mar, as ondas...


E fui tentando olhar e perceber alguns fenômenos através dos meus olhos humanos, querendo alguma validação.


Mas logo na segunda respiração, eu percebi que não precisava mais disso.


A gente, na verdade, fica acostumado a esperar por fenômenos para validar o que nós realmente somos. Mas já Somos.


Eu sou uma Mestra, não preciso dessas validações.


É muito mais do que meus olhos podem ver.


E aí fiquei ali, olhando o horizonte e percebendo que há muito mais do que aquela linha do horizonte. O mar se expande além...


E, assim, os meus olhos físicos não precisam me mostrar nada. Apenas contemplar aquele momento, junto com Tudo o que Eu Sou, que estava ali, como se estivessem sentados juntos de mim, se integrando, à medida que eu pensava em outras coisas, olhava outras coisas e contemplava sem precisar fazer nenhum comando com a minha mente.


E foi assim que, numa respiração, eu senti:


Enfim, estou relaxada...


Enfim, estou confortável dentro de mim.


Não preciso mais de qualquer tipo de fenômenos nem validação.


Eu apenas permito que eu seja a Mestra que estava ali sentada e contemplando essa vida.


E assim É!



(Aline Bitencourt)



Comentarios


bottom of page