top of page

Sentindo o Movimento


Para ter consciência do próprio movimento é preciso parar em si mesmo.

Vejo as nuvens passarem no céu... Por um momento, achei que eu estava parada. Mas, quando paro um pouco em mim, percebo que não estou. Há o pulsar das minhas veias, há toda a Jornada que vivenciei. Sim, parei para algumas coisas, inclusive de “pedalar”. Estou curtindo as paisagens que passam ao meu redor, assim como as nuvens que se movem no céu... Tudo ao nosso redor pode nos servir como lembretes. Mesmo de maneira sutil, há muita coisa acontecendo em nossa vida. A Terra se move e quase nem percebemos. Nossas células trabalham e nem as sentimos conscientemente. Tudo está no mais perfeito ritmo. Por isso, para ter consciência do próprio movimento, é preciso parar em si mesmo.


(Aline Bitencourt)



Comments


bottom of page