Postagens

Mostrando postagens com o rótulo experiências

SHAUMBRANDO

Imagem
Quando começamos a ter consciência de que estávamos mudando as nossas vidas (dentro e fora de nós), tivemos vontade de escrever sobre nossas percepções e expansões para melhor nos compreender. Aqui, compartilhamos algumas das nossas experiências com outros Shaumbra, com as pessoas em geral e, principalmente, nossas inspirações a partir da respiração consciente. SHAUMBRANDO são expressões familiares principalmente para quem já passou ou está passando por experiências semelhantes às nossas ou está escolhendo viver uma nova vida. São mensagens atemporais, com multicamadas além das palavras. Você  que está aqui agora nos lendo, pode sentir que, muitas vezes, é difícil compartilhar com quem está ao seu redor e expressar o que está se passando dentro de você. Então, você se sente sozinho(a) e estranho(a). Mas, agora, você pode perceber que há outras "pessoas estranhas" (NÓS!) que estão se jogando ao "Desconhecido". E, apesar da sensação de sermos &qu

SES: Experiências e Depoimentos

Imagem
SES: Experiências e Depoimentos ESCOLA DE ENERGIAS SEXUAIS (SES) SALVADOR/BAHIA - FEVEREIRO 2010 Como é bom compartilhar mensagens tão sagradas e sentir as mudanças acontecendo! Na verdade, começamos a mudar antes mesmo do curso, no momento em que  nos permitimos  nos expandir. Na Escola de Energias Sexuais de Tobias em Salvador, cada um de nós recebeu e desembrulhou este presente, se reconhecendo como um verdadeiro templo sagrado. O corpo, a mente, o espírito e o gnost foram convidados a se integrar... Vivenciar a Escola de Energias Sexuais é sentir as energias masculina e feminina se equilibrando, é compreender as dinâmicas do vírus das energias sexuais nas relações interpessoais em que estamos envolvidos e curar as nossas feridas. Certamente, não somos mais os mesmos. Partilhamos, nos emocionamos e celebramos juntos. É libertador (é além das palavras, na verdade!) nos reconhecermos como realmente Somos. No final desta Escola, com amor, principalm

Falta de Abundância é Apego

Imagem
Falta de abundância é apego. Apego às nossas experiências do passado, que julgamos como positivas ou negativas, ao invés de serem apenas liberadas como parte da nossa jornada terrena. Apego à prisão que pode representar o ego, que se alimenta de demonstrações equivocadas de perdão e de caridade, se esquecendo de que cada humano é honrável por suas escolhas e opções, mesmo que não as compreendamos. Apego pela busca de um status social que mascara a interação com outro humano, supervalorizando a necessidade de recursos materiais sem verdadeiramente curti-los, apenas mostrando que "tem", fazendo com que a segurança financeira seja o termômetro de uma vida plena. Apego a um emprego que distrai e faz minguar o prazer a cada rotina, mas que garante uma parca sobrevivência com o peso de concessões veladas e de barganhas. Apego às próprias crenças como se fossem as únicas e absolutas formas de se integrar à própria divindade. Apego a um falso conceito de juve

As Experiências da Iluminação

Imagem
Tudo que acontece em nossas vidas é para a nossa iluminação. Por isso, não precisamos ter medo e nos preocupar. Se alguma coisa aparentemente ruim acontece, é, na verdade, um convite para integrar o que ainda está fragmentado e, muitas vezes, escondido ou negado por nós. Mas isso não significa que temos que vivenciar o que não curtimos a fim de nos tornarmos "melhores", "mais evoluídos". Criamos e des-criamos e criamos novamente... Surfando nas energias, cuspindo algumas outras, com consciência e amor por nós mesmos. (Aline Bitencourt)

Eu Experiencio. Ponto.

Imagem
Eu cheguei a um ponto em que não quero acumular mais informação, nem ter mais explicação de "nadica de nada". Eu experiencio. Ponto. Eu não quero primeiro teorizar e depois "rotular" a experiência. Muita coisa ainda "importa" pra mim, apesar de "entender" (com a mente, por isso entre aspas) que o NÃO IMPORTA pode representar "plenitude". Já me descobri repetindo tantas mentiras (criadas por mim mesmo), que - agora - até encontro humor pra rir delas, enquanto não as libero. Passo o dia numa escala que oscila entre a minha humanidade e a minha divindade. No dia em que não oscilar mais nesses "multipolos", vou sair por aí... E simplesmente viver! (Luiz Henrique)