Honro-me


Honro-me por ser a Criação designada para viver esta como A Vida.

Honro-me por ser a Anfitriã que recebe tantos aspectos de volta a mim. E, quando sinto-os mais perto, há um misto de tantas emoções, que fica meio difícil sentir o meu Eu Soberano. Neste momento, respiro fundo. Respiro e me observo... E vou relaxando por simplesmente me reconectar com meu Saber. Como se estivesse "atrás" da turbulência das camadas e camadas de aspectos, sinto o meu "Eu Existo", sereno e compassivo, em mim.

Honro-me por experienciar tantos movimentos dentro e fora de mim, na sensualidade de um ser humano e na sabedoria de ser divino.


(Aline Bitencourt)