Feliz Escolhas!!!


Final de ano chegando e aquele monte de expectativas toma conta da nossa mente. Misturam-se os nossos anseios, os dos outros humanos e os do mundo como um todo. Em um planeta em intensa transformação, é difícil não sentir todas essas energias efervescentes. Nesse momento, proponho alguns instantes com uma profunda respiração...

Agora, sugiro que escolhamos como queremos experienciar o próximo ano. Isso é uma “reflexão“ tão especial porque apenas nós, seres únicos e divinos, podemos responder isso para nós mesmos. A maioria poderia pedir mais dinheiro para o próximo ano. Outros, mais “espiritualizados“, poderiam ansiar por se tornarem humanos mais perfeitos ou, pelo menos, tentariam um caminho para se aperfeiçoarem, entendendo mais os outros humanos, sendo um parente mais tolerante, meditando mais, mentindo menos, comendo mais alimentos saudáveis, sendo ecologicamente mais corretos e por aí vai...

Mas será que estes são também nossos anseios realmente ? Será que queremos continuar seguindo os mesmos objetivos e metas dessa velha consciência, que muda de alvo a todo instante qual um vírus em constante mutação? É isso que queremos no ano novo: continuar com essas velhas tentativas?

Para que tentar buscar essa “perfeição“? Ao invés disso, não seria mais simples e mais fácil aceitarmos que temos a Perfeição? E nos darmos conta de que o futuro nada mais será do que as escolhas que fazemos para nós nesse exato instante?

Liberemos todo esse ideal de perfeição. O verdadeiro Mestre não é aquele profeta alado que carrega todos os problemas da humanidade em suas costas ou um guru que emite energias de cura por onde passa. Tampouco é aquele ser psíquico que carrega o fardo de ser um oráculo ambulante. Mas, sim, é aquele que tem um “olhar para dentro de si“, no Agora. Quem ainda precisa se alimentar de todo esse ego é quem anda se distraindo e tornando as coisas complexas.

É por isso que eu desejo, para mim, um novo ano de forma simples, sob a ótica do verdadeiro “não importa“. Como assim? O que eu escolher será o meu presente e o meu futuro. Daí, todo o resto não importará.

Eu não quero ser uma grande personalidade no próximo ano, muito menos participar dos “big brothers“ da consciência de massa, simplesmente porque não escolho mais me alimentar de todo esse peso energético. Para mim, Quem Sou Eu não tem mais a ver com nenhuma construção de identidade. É puro e fluido: Essência.

Eu simplifico a vida como se eu estivesse transformando minha casa, arrumando os móveis para que eles possam me servir, decorando-a com objetos que expressem a minha criatividade e pincelando em telas que espelham o meu sentir. É como curtir e celebrar com uma taça de vinho ou um copo de cerveja gelada, contemplando o pôr do sol, o luar, sentindo a presença da minha própria companhia e de quem mais estiver em sincronicidade comigo. Deixo ir todas as coisas físicas, emocionais e mentais que não se sintonizam com meu espaço seguro. Libero todo o grande drama! Eu acredito e sinto isso: “Eu Sou O Que Eu Sou“!!!!

Feliz Escolhas!!!!


(Luiz Henrique)


2 comentários:

  1. Belíssimo pensamento! Gratidão!

    ResponderExcluir
  2. Nós que somos gratos pela sua Presença aqui compartilhando com a gente, Dalila! Um abração!

    ResponderExcluir

Fique à vontade pra compartilhar, dar um oi...

*As imagens contidas aqui são edições de telas de LH, registros de eventos ou do nosso cotidiano, exceto as relacionadas ao Crimson Circle.