O Presente do Amor


Nos últimos meses, tenho passado boa parte do tempo no jardim do meu pai na companhia de beija-flores e pássaros amarelos (aqui na Bahia chamamos estes de “sebinho”). Estar no jardim é um presente maravilhoso para mim. Todos os dias, antes de sair para o trabalho, eu preparo os bebedouros com néctar e deixo banana ou mamão para alguns pássaros que vêm pousar na jabuticabeira do jardim.

Hoje à tarde, quando fui descansar, fechei a porta da sala onde fica o jardim. Quando acordei, tinha um beija-flor voando quase perto do teto. Logo abri a porta e a janela, mas parecia que ele não conseguia sair e voava cada vez mais alto. Depois de um tempo, pousou no lustre e lá ficou. Na tentativa de ajudá-lo, eu deixei um bebedouro com néctar pendurado na porta da sala para que o beija-flor percebesse um caminho para se libertar. Mas ele permanecia parado. Talvez tivesse se machucado ao tentar sair da sala - pensei. E fiquei apreensiva. Sentei-me no sofá e fiz algumas respirações profundas e conscientes, sem tentar fazer mais nada. Não demorou muito e o beija-flor voou pela porta facilmente.

Através desta experiência com o beija-flor, tive mais compreensão de que amar é honrar as habilidades e as escolhas dos outros. Não é preciso interferir.


(Aline Bitencourt)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra compartilhar, dar um oi...

*As imagens contidas aqui são edições de telas de LH, registros de eventos ou do nosso cotidiano, exceto as relacionadas ao Crimson Circle.