Apenas É


O amor é uma coisa bem diferente do que eu achava que era. Eu achava que era um sentimento complexo e, que para senti-lo, eu precisava me perder em um mergulho profundo dentro das malhas energéticas do mundo, vivenciando ciclos quase intermináveis de sofrimento, vencendo o ego e a razão como um herói das histórias infantis de que eu tanto gostava.

Imaginava que havia algo a exterminar. O alvo era sempre um vilão que eu precisava destruir. E esse vilão era sempre o mesmo: eu. E só depois de muito, muito tempo nesse emocionante carrossel eu atingiria o círculo essencial.

Agora, estou aqui curtindo ser o ator do espetáculo, palhaço do circo. O Mestre bobo da corte. Rindo de toda a grande ilusão que é essa vida '3D'. Protagonista e coadjuvante da minha vida. Fazendo parte de um elenco, singular e plural, onde todos são Estrelas. Minha vida se mistura a tantas outras vidas, minha, sua, nossas... Mas, ao invés de me prender nas velhas malhas, eu me descubro o Criador de mim mesmo.

Somos o Todo que 'faltava' para nos descobrirmos Únicos e Soberanamente Completos.

Não é mais sobre falta...

Apenas É!


(Luiz Henrique)



2 comentários:

  1. Gostei muito e as palavras de um Shaumbra refletem em outro.
    Abraço

    ResponderExcluir

Fique à vontade pra compartilhar, dar um oi...

*As imagens contidas aqui são edições de telas de LH, registros de eventos ou do nosso cotidiano, exceto as relacionadas ao Crimson Circle.